FESTIVAL DE 2016 JÁ TEM DATA E ABRE INSCRIÇÕES PARA ARTISTAS SOLO E BANDAS

Festival Até o Tucupi de Artes Integradas 2016 abre inscrições para artistas solo e bandas com músicas própria. (Na foto, a cantora amazonense Kely Guimarães, no Até o Tucupi 2015).
Festival Até o Tucupi de Artes Integradas 2016 abre inscrições para artistas solo e bandas com músicas próprias. (Na foto, a cantora amazonense Kely Guimarães, no Até o Tucupi 2015).

 

O Festival Até o Tucupi de Artes Integradas 2016 chega a sua 11ª edição promovendo programação artística e de formação, capacitando novos agentes culturais, gerando intercâmbio entre artistas, produtores e mobilizadores e fomentando as artes e manifestações culturais, tendo a juventude como principal público. E sob o tema #AtéOTucupiDeCultura, o festival provoca debates que gerem o desejo coletivo de transformar a cidade, com foco na qualidade de vida, tendo a transversalidade da CULTURA como centro articulador.

 

O Até o Tucupi 2016 acontece entre os dias 20 e 25 de setembro na cidade de Manaus/AM, oferecendo ao público uma programação artística e de formação totalmente gratuita.

 

Finalizando a programação do festival, acontece a já tradicional Mostra de Música, reunindo nos dias 24 e 25 de setembro, o melhor da nova música produzida na cidade de Manaus, num intercâmbio também com artistas solo e bandas de outros Estados brasileiros.

 

Mostra de Música

O Até o Tucupi sempre se propôs a ser ponto de encontro da mais nova e promissora música autoral produzida no Amazonas e no Brasil. O formato da mostra, com palco na rua e um line up de bandas locais, selecionados por curadores ligados à produção musical/cultural do país, além de bandas convidadas, já reuniu bandas como Autoramas (RJ), BNegão & Os Seletores de Frequência (RJ), Gang do Eletro (PA), Cabruêra (PB), Macaco Bong (MT), Zeferina Bomba (PB), Finlândia (BRA/ARG), Camarones Orquestra Guitarrística (RN), Strobo (PA), dentre outras.

 

A Mostra de Música terá massissa participação de artistas locais, sejam convidadas ou selecionadas, através de inscrição online (ateotucupi.org). Serão selecionados artistas solo/bandas que nunca se apresentaram no festival e que tenham músicas autorais. Os shows acontecem nos dias 24 e 25 de setembro, encerrando o festival e também serão gratuitos, em local ainda a ser divulgado.

 

O Festival Até o Tucupi de Artes Integradas faz parte da Rede Brasil de Festivais Independentes – uma plataforma inteligente de divulgação da música nacional, com mais de 100 festivais espalhados pelo Brasil -, e é um dos sete festivais que integram o Circuito Amazônico de Festivais Independentes, duas iniciativas que estabelecem uma nova proposta para esses eventos, proporcionando ao público amazonense o que de novo vem acontecendo no cenário musical brasileiro.

 

INSCREVA-SE AQUI:  http://bit.ly/InscriçõesAtéOTucupi

Conheça os projetos/ideias/iniciativas selecionados para o Até o Tucupi 2015

UNCAMONN
Ação Social do projeto UNCOMMON / Foto: Divulgação

O Até o Tucupi chega a sua 10ª edição, fiel a sua essência fortalecedora e pulverizadora das artes integradas, este ano com a temática “ Respeite as Maninhas” , visando homenagear às Mulheres que compõem o cenário musical do Amazonas, além de, propor o estabelecimento de modernas conexões e possibilidades para construir  novas redes colaborativas de trabalhos.

11831676_1662774237342329_2998387092371548115_n
Ação Social do projeto UNCOMMON / Foto: Divulgação

Incorporados à programação, dois projetos/ideias inscritas, projeto de interferência urbana do artista visual e produtor Francisco Ricardo; Uncommon,  grupo que se organiza de maneira voluntária para interferências de melhoramento urbano e sensibilização; e o projeto da Cia Expressão & Vida, ‘A praça em cena’, que reunirá grupos de danças urbana da cidade para apresentações e aulão no Anfiteatro do Parque dos Bilhares.

11935060_979592175426938_213151609994568745_n
Projeto “A Praça Em Cena” / Foto: Divulgação

Na zona norte e zona leste, os produtores também pautarão o Até o Tucupi e apresentando o encontro ‘Redes de Periferia – Alternativas na construções de politicas públicas’, Centro de Convivência do Mutirão e o HIP HOP ROOTS – projeto de ocupação urbana que propõe a difusão do rap e reggae -, na faixa liberada da Av. Itaúba. Ambos geridos pelo Projeto Casa Cultural e pelo Coletivo Feminino Mariam, respectivamente. A abertura será na próxima Quarta-feira,09 de Set, a partir das 20h no Teatro Amazonas, com acesso gratuito. Não percam!

bandasa selecionadas

Conheça as bandas selecionadas que participarão do Festival Até o Tucupi 2015

bandasa selecionadas

O Festival Até o Tucupi chega em sua 10ª edição no ano de 2015, apresentando o tema RESPEITE AS MANINHAS! Em sua programação artística e de formação o festival procura fortalecer a representatividade e valorizar a mulher no cenário cultural amazonense e do Brasil, destacando a importância do debate da problemática do cotidiano feminino.

A Mostra de Música do Até o Tucupi – já tradicional lugar da na música produzida no Amazonas e que se conecta também com a música produzida no Brasil todo -, também destaca, seja em bandas ou trabalhos solo, o protagonismo da mulher à frente dos trabalhos musicais selecionados para esta edição. Dos 08 trabalhos selecionados, 05 tem mulheres à frente (Anne Jezini, Anônimos Alhures, Dona Celeste, Kely Guimarães e Relatos de Rua). Algumas delas apresentam seus trabalhos no dia 19 de setembro na Arena do Palacete Provincial, prédio histórico do centro da cidade de Manaus. E no dia 20, encerram a programação do Até o Tucupi, com uma Mostra exclusiva dedicada à trabalhos com mulheres à frente.

A baixista e produtora cultural Ana Morena, foi a curadora dos trabalhos inscritos via Toque no Brasil, pra a Mostra de Música desse ano. À frente do Combo Cultural DoSol que conta com Estúdio, Produtora de Vídeo, Centro Cultural, Selo e um dos principais Festivais de música do Nordeste, desenvolve há 14 anos um trabalho contínuo de fortalecimento da música independente brasileira. Como baixista do Camarones Orquestra Guitarrística, banda de rock instrumental com 8 anos de estrada, já circulou por todo o Brasil, Europa e Sulamérica. Ana, contou sobre a experiência: “Fiquei muito feliz pelo convite. Primeiro pela quase devoção que tenho pelo Norte do país despertada pelas várias tours que fizemos praí com o Camarones. Depois é verificar que ano após ano o festival vem se fortalecendo, atendendo demandas locais e buscando sempre um diálogo entre o fazer artístico e as pautas socais. Esse ano, com o foco em expressões artísticas que contam com mulheres à frente, foi uma honra participar disso. Sigo na fé que em breve não precisaremos mais ter que enfocar em questões de gênero, sexo, cor, classe sociais, etc. Um dia seremos apenas cidadãos e acredito que projetos como o Até o Tucupi contribuem muito nessa caminhada. Que venham mais 10 anos!”

Ana Morena

Confiram abaixo, os artistas/bandas selecionados, via Toque no Brasil para participarem da Mostra de Músicas do Até o Tucupi 2015 _ RESPEITE AS MANINHAS!:

Anne Jezini – http://tnb.art.br/rede/anne

Anônimos Alhures – http://tnb.art.br/rede/anonimos-alhures

Denny Vira-lata –http://tnb.art.br/rede/viral

Dona Celeste – http://tnb.art.br/rede/donaceleste

Eutanase – http://tnb.art.br/rede/eutanase

Kely Guimarães – http://tnb.art.br/rede/kelyguimaraes

Luneta Mágica – http://tnb.art.br/rede/lunetamagica

Relatos de Rua (AP) – http://tnb.art.br/rede/relatosderua

O Até o Tucupi 2015 _ RESPEITE AS MANINHAS! acontece em Manaus/AM, de 09 a 20 de setembro e tem apoio do site Toque no Brasil.

Arte tucupi_final

ATÉ O TUCUPI DE MANINHAS!

Arte tucupi_final

Como uma percepção natural e legítima das demandas atuais da sociedade brasileira, o Até o Tucupi 2015 apresenta o tema RESPEITE AS MANINHAS!

Com o intuito de fortalecer a representatividade e valorizar a mulher no cenário cultural amazonense e o do Brasil, destacando a importância do debate da problemática do cotidiano feminino (desvalorização de sua atuação no mercado de trabalho, na política, nos ambientes de debate e gestão para a cultura, da violência contra a mulher), o Até o Tucupi, em sua décima edição, irá destacar em todas as atividades (seja nos palcos ou nas atividades de formação e debates) a presença feminina.

A decisão de valorizar a pauta da mulher na edição de 2015 do festival é resultado da reflexão intensa pelo qual o grupo que o realiza (Coletivo Difusão) mergulhou, e que ao longo dos anos vem destacando a atuação de mulheres em sua gestão e seu inevitável envolvimento e reconhecimento junto à movimentos de mulheres e a pauta do feminismo, principalmente na cidade de Manaus. Num âmbito mais amplo, nós mulheres somos maioria da população brasileira, somos a maioria no ensino médio e ensino superior, somos maioria de eleitores. No entanto isso não se reflete numa representação nos espaços políticos e de poder, nem na equidade de pisos salariais. Pelo contrário, o que se vê são alarmantes dados referentes à violência contra a mulher e um imenso atraso e desqualificação no debate referente à liberdade em relação a seu próprio corpo.

Trazendo a pauta para a perspectiva da arte e cultura, o Até o Tucupi terá em sua programação debates e atividades de formação voltadas para mulheres, além de destacá-las nas apresentações artísticas. E encerrará sua programação com uma mostra de música, no dia 20 de setembro, no Teatro da Instalação, apresentando trabalhos musicais protagonizados por mulheres.

A orgazinação do Até o Tucupi convidou a artista visual Deborah Erê para dar cara à identidade visual deste ano. Erê é de São Paulo, mas há quase um ano reside na cidade de Manaus. É estudante de Artes Visuais da Universidade Federal do Amazonas, mas é na rua que expressa sua militância, através da arte, misturando graffiti e lambe-lambe com poesia. Seu trabalho também se desdobra de forma variada, virando aquarelas, zines e projetos sobre feminismo e empoderamento. Confira o trabalho da artista em seu site (http://cargocollective.com/deborahere) e na fan page Selenitas

Deborah Erê2

O trabalho de Deborah com sereias começou depois de sua vinda para Manaus, quando decidiu retratar as mulheres que via de uma maneira poderosa e representativa, fugindo dos padrões de beleza estabelecidos na nossa sociedade. Ilustrando o Até o Tucupi 2015, buscou representar essas mulheres, que todos os dias vemos por aí. Guerreiras do cotidiano, mulheres fortes, plenas de sabedoria, que carregam gerações em seus ventres.

O Até o Tucupi 2015 _ RESPEITE AS MANINHAS! acontece de 09 a 20 de setembro, em Manaus/AM e é realizado pelo Coletivo Difusão.

INSCRIÇÕES

Inscrições abertas no Até o Tucupi 2015!
Inscrições abertas no Até o Tucupi 2015!

O Até o Tucupi 2015 _ 10ª Edição, baseados em princípios colaborativos, solidários e criativos, abriu inscrições nesta quarta-feira, 22 de julho, para as Edital de Vivências em Produção e Comunicação, Projetos/Ideias e Mostras de Música. Acesse

O Edital de Vivências em Produção e Comunicação objetiva a abertura de espaços de formação para agentes culturais, artistas, estudantes e demais interessados. Se inscreva aqui: http://bit.ly/FormulárioDeInscriçãoVivência

Desde 2013 o Até o Tucupi vem integrando à sua agenda de atividades projetos e/ou ideias/iniciativas propostas por agentes culturais, artistas, produtores de diferentes fazeres e diferentes zonas da cidade, com a intenção de solidificar uma rede articulada que se conecte para além do próprio festival.  Inscreva o seu projeto/ideia/iniciativa aqui: http://bit.ly/FormulárioIdeiasEProjetos

E a já tradicional Mostra de Música do Até o Tucupi, esse ano terá dois momentos: uma no dia 19/09, na Arena do Palacete Provincial e a outra, encerrando o Até o Tucupi, dia 20/09, no Teatro da Intalação. A novidade se dá no fato de que no dia 20, a Mostra no Teatro da Instalação é dedicada à trabalhos musicais capitaneados por mulheres (bandas ou artistas solo). Inscreva-se aqui: http://bit.ly/OportunidadeTNB

O Até o Tucupi 2015, acontece de 09 à 20 de setembro deste ano e é uma realização do Coletivo Difusão e Casa Fora do Eixo Amazônia e integra a Rede Brasil de Festivais Independentes – uma plataforma inteligente de divulgação da música nacional, com mais de 100 festivais espalhados pelo Brasil -, e é um dos sete festivais que integram o Circuito Amazônico de Festivais Independentes, duas iniciativas que estabelecem uma nova proposta para esses eventos, proporcionando ao público amazonense o que de novo vem acontecendo no cenário musical brasileiro.
15279916286_47c559f710_o

Direto de Roraima, Jamrock veio para somar à música da região norte

15279916286_47c559f710_o

A banda roraimense alimentou o segundo dia da Mostra de Música do Até o Tucupi 2014 com muita paz e amor, e claro, com sua musicalidade. Essa mistura da harmonia e positividade do reggae com a atitude do rock, que formam a Jamrock, levou o público manauara a um momento de amor e união, além de apresentar a pegada reggaerock do estado de Roraima. A interação foi extremamente ativa, do início ao fim, o que criou um elo entre a banda e o público, e também com os outros artistas que prestigiaram a Mostra de Música.

Para a JamRock, tocar na capital amazonense é como “dar um salto à diante” e conquistar o público de todo o Norte sempre esteve em seus planos. Segundo os músicos, tocar em um festival independente que vem se consagrando ao longo dos anos, estando na sua 9º edição, é uma oportunidade incrível e que trouxe entusiasmo.

15116254110_7500f9eef5_o

A banda define-se como um “vírus”, que quando infecta uma pessoa, o desejo é que vire uma infecção em massa! Esse vírus Jam tem infectado e atraído público de todo o Brasil durante esses 4 anos de trajetória da banda, resultando em reconhecimento no cenário roraimense, cidade com pequena tradição em bandas de reggae independentes, e principalmente no cenário do Norte do país.

A banda conta com a talentosa Ana Gabriela, vocalista que vem mostrando a potente atuação feminina na cena do reggae, Hugo Pereira no baixo e voz, Hyago Moura na guitarra e voz e também, Roberto Vizotto na bateria. Todos afirmam que “tocar em Manaus, significa um grande passo e é um público novo, especial e muito receptivo”, e apoiam a proposta de trabalhar a arte de forma integrada e democratizada, dando ênfase às bandas do Norte, que têm a oportunidade de mostrar seus trabalhos autorais, de composição e produção musical.

15116410537_e26213c0d1_o

A vocalista Ana Gabriela acrescenta, “a visibilidade que o Até o Tucupi propõe pra gente foi importantíssimo, pois abriu o nosso leque. Conhecer gente nova, trocar ideias e não apenas apresentar o nosso show. A gente têm uma troca muito rica com os músicos e produtores musicais que passam pela Mostra, e isso é realmente válido. Sempre tem essa relação mútua. Então, foi tudo demais! Obrigada, Manaus.”

Para encontrar mais sobre a Jamrock é só acessar a sua página no Toque no Brasil http://on.fb.me/1sC0vAL ou o seu Soundcloud http://bit.ly/1CejLnH. É música boa que vem do Norte!

A gente se esbarra em 2015!

15116938889_8bbc46f612_o

Mistura latina que representou no Até o Tucupi 2014: DUO FINLANDIA!

15116938889_8bbc46f612_o

O projeto, criado pelo argentino Maurício Candussi e o brasileiro Rapha Evangelista, se apresentou na Mostra de Música do Circuito Até o Tucupi 2014 e fez o público vibrar. O Duo tem como proposta um som dançante e fervoroso, centralizando atenção à gêneros musicais pouco conhecidos, como o Saya, Camdombe e os tradicionais Tango e Bossa Nova, mesclando ingredientes tocados ao vivo como o violoncelo, acordeão e teclado junto à sons eletrônicos com coros de vozes, que viajam por ambientes orquestrados.

Fantástica, essa mistura chegou à Europa e América Latina, além de render vários prêmios e destaque na imprensa de 20 países. Dentre eles a seleção, com mais três artistas mundiais, pelo projeto londrino SOFAR MUSIC, a indicação entre os 30 artistas emergentes brasileiros pela OI MUSICA e o prêmio HANGAR como melhor duo instrumental brasileiro de 2011. Após participarem de grandes Festivais como, o “Festival Dubout du Monde”, que neste ano chegou à sua 15ª edição, e o FIGO “Festival Internacional de Goiás”, onde também tiveram uma resposta positiva do público, chegar à Manaus e ver todo mundo delirando ao som da sua performance os deixou extremamente felizes.

15116997060_52d6563e60_o

Esta parceria ímpar, chegou à terras tupiniquins e encantou os Manauaras. Formando uma “dança em massa” na Orla da Ponta Negra, local do palco da Mostra de Música do Circuito de Artes Integradas – Até o Tucupi 2014. Segundo Rapha Evangelista “foi massa o público inteiro bailando. Há muito tempo tínhamos anseio por estar em Manaus, foi lindo! Seria o máximo poder voltar à cidade na próxima edição, seria muito legal” e acrescentam ter sido uma “realização profissional e pessoal”. Para os músicos, conhecer as peculiaridades da cidade, como a cultura e a culinária, fez desse encantamento mútuo.

A apresentação do Duo Finlândia ainda resultou na produção de um material audiovisual a cerca da sua apresentação na capital manauara, mostrando também a interação deles com o público presente. Confere aqui: http://bit.ly/1syPDT0

Para quem perdeu o show, vale a pena conhecer e conferir o trabalho desses artistas incríveis através do site http://finlandiamusica.com.br/ e da fanpage http://on.fb.me/1qkqirj.

A gente se esbarra em 2015!

Jovem Palerosi traz seu case para o Até o Tucupi

o Dj e produtor apresenta seu mais recente trabalho lançado, ‘Mouseen’, no sábado, dia 20.
o Dj e produtor apresenta seu mais recente trabalho lançado, ‘Mouseen’, no sábado, dia 20.

O projeto Transremix traz à programação do Circuito Integrado e ao palco da Mostra de Música do Até o Tucupi 2014, o trabalho do músico, Dj e produtor musical paulista, Jovem Palerosi. Com experiência em bandas, projetos audiovisuais, instalações, performances e trilhas sonoras, Palerosi já circulou com seus projetos por diversas regiões do país, Argentina e Inglaterra. Mas é com seu mais recente trabalho lançado, ‘Mouseen’, que o Dj se apresenta no sábado, dia 20, abrindo os trabalhos, às 16h, no segundo dia de shows da Mostra de Música, que encerra o Até o Tucupi.

 ‘Mouseen’ é um álbum que surge à partir de remixes e colaborações com diversos parceiros. Ao vivo, as músicas são recombinadas de forma a criar novas possibilidades à partir de improvisos em cada apresentação. Confria o álbum aqui: http://bit.ly/1mbpEjF

E como resultado de inscrição no edital de projetos e ideias do Até o Tucupi 2014, aconteceu na terça-feira, 16, no Coletivo Difusão, a oficina “TransRemix” facilitada pelo músico e produtor, esclarecendo conceitos de discotecagem e produção musical. Palerosi compartilhou um pouco de sua experiência no ramo, falou sobre a variedade de equipamentos disponíveis no mercado, vantagens e desvantagens na utilização deles e os seus funcionamentos, onde ressaltou  a “importância da criatividade” no processo de mixagem e produção.

“Não existem fronteiras dentro dos gêneros musicais e tudo é possível...", Palerosi falando sobre a busca pela identidade musical.
“Não existem fronteiras dentro dos gêneros musicais e tudo é possível…”, Palerosi falando sobre a busca pela identidade musical.

Outra questão abordada por Jovem foi a busca pela identidade musical. Segundo Palerosi, “Não existem fronteiras dentro dos gêneros musicais e tudo é possível, desde que esta busca esteja alicerçada ao verdadeiro sentido de produzir, ao bom gosto, à percepção das pessoas, às ideias atualizadas e alheias ao fetichismo tecnológico”. Para Jovem Palerosi, esses elementos têm total importância na concretização do sucesso de um projeto.

O produtor paulista ainda enfatizou a busca do conhecimento como importante fator na criação de um projeto, ressaltando que é  necessário ousar para  tornar possível a discotecagem e a  produção com poucos recursos e equipamentos. Em sequência, os participantes presentes trocaram ideias sobre criatividade musical e o preconceito em relação aos Dj’s, que fazem uso das novas tecnologias.

A oficina “TransRemix” facilitada pelo músico e produtor Jovem Palerosi de São Paulo (SP), esclarecendo conceitos de discotecagem e produção musical.
A oficina “TransRemix” facilitada pelo músico e produtor Jovem Palerosi de São Paulo (SP), esclarecendo conceitos de discotecagem e produção musical.

 Na oficina os participantes contaram, ainda, com mostragem de trilhas orquestradas, arranjos simples e à pedidos, Jovem Palerosi mixou um de seus badalados sets, destacando também as referências que influenciaram a criação de seu mais novo projeto intitulado “Moussen’’. A oficina “TransRemix” integrou o Até o Tucupi 2014 como projeto integrado, com a finalidade de promover a cultura e a arte de forma integrada, colaborativa e desterritorializada.

O Até o Tucupi 2014 é uma realização do Coletivo Difusão e Casa Fora do Eixo Amazônia com patrocínio da Jacc Produções Artísticas, Cafofo Comunicação Integrada, Arawak Jungle Hostel, apoio da Fundação Nacional das Artes – FUNARTE, através do Edital Funarte para Encontros, Seminários, Mostras, Feras e Festivais 2014; Prefeitura de Manaus, através da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer – SEMJEL e Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – Manaus Cult; site Toque no Brasil – TNB. O Até o Tucupi ainda integra A Rede Brasil de Festivais Independentes, o Circuito Amazônico de Festivais Independentes, a Universidade das Culturas e a Cultura de Rede.

Camarones e Duo Finlândia, promovem repertório instrumental no Até o Tucupi 2014

Duas bandas que garantem uma circulação absurda no circuito de festivais e shows independentes não só pelo Brasil, mas virando o mundo, aportam na Mostra de Música do Até o Tucupi 2014, com abordagem instrumental: os roqueiros de Natal/RN, Camarones Orquestra Guitarrística, que se apresentam na sexta-feira, dia 19, e o duo Brasil/Argentina, Finlândia, com show no sábado, dia 20.

Duo Brasil/Argentina aposta em ritmos sul-americanos e ambiência eletrônica.
Duo Brasil/Argentina aposta em ritmos sul-americanos e ambiência eletrônica.

O Finlândia, que se apresenta pela primeira vez em Manaus/AM, é um projeto formado pelo argentino Mauricio Candussi e o brasileiro Raphael Evangelista. No palco uma fusão de ritmos sul-americanos com foco em sonoridades pouco conhecidas fora de seus países de origem, como o Huayno, Saya, Baião, Candombe e, claro, sem esquecer dos tradicionais tango e bossa-nova. Tudo isso mesclado a elementos contemporâneos tocados ao vivo com violoncelo, acordeão, teclado, sons eletrônicos que passeiam por ambientes instrumentais e com coros de vozes. Esta fusão sonora rendeu-lhes diversos prêmios e destaque na imprensa de 17 países durante suas tours pela Europa e América Latina, dentre eles a seleção com mais 3 artistas mundiais pelo projeto londrino SOFAR MUSIC, a indicação entre 30 artistas emergentes brasileiros pela OI MUSICA, o prêmio HANGAR como melhor duo instrumental brasileiro de 2011, além do convite para integrar o cast da agência francesa VO Music, junto a Milton Nascimento, Esperanza Spalding e João Bosco. Para este novo show, o duo apresenta um espetáculo intenso e vibrante com repertório dos 4 discos, porém focada no lançamento de seu mais novo trabalho, que vai desde o afoxé até a polka finlandesa, sem perder a essência sul-americana. Ouça o novo disco completo DALE: www.finlandiamusica.com

O quarteto potiguar, se apresenta pela segunda vez em Manaus/AM, e traz seu rock dançante para o palco do Até o Tucupi 2014.
O quarteto potiguar, se apresenta pela segunda vez em Manaus/AM, e traz seu rock dançante para o palco do Até o Tucupi 2014.

Já os Camarones Orquestra Guitarrística se apresentam na cidade pela segunda vez e são uma das grandes atrações da Mostra. A banda potiguar de música instrumental mistura rock com elementos de ska, pop e surf music. Criada no final de 2007 com o objetivo de fazer uma música instrumental, divertida e dançante, a banda lançou em 2011 o trabalho o “Espionagem Industrial”, CD contemplado no edital nacional Petrobras Cultural que possui patrocínio do Ministério da Cultura e Petrobras através da Lei Rouanet. O disco foi gravado em Natal numa parceria do Estúdio Costella (SP) e DoSol (RN), com produção de Chuck Hipolitho e co-produção de Anderson Foca. O Camarones tem uma intensa agenda de shows em todas as regiões do país e recentemente voltaram de sua primeira turnê pela Europa, em quase 20 shows por cidades da Alemanha, Suíça, França e outros. Ouça o último trabalho da banda, o disco “O curioso caso da música invisível”: http://camaronesorquestraguitarristica.tnb.art.br/

A Mostra de Música do Até o Tucupi volta a acontecer em 2014, realizada pelo Coletivo Difusão e Casa Fora do Eixo Amazônia, nos dias 19 e 20 de setembro. E o local dos shows, pela primeira vez, é um famoso ‘cartão-postal’ da cidade de Manaus: o calçadão da Ponta Negra, ao lado da pista de skate. No dia 19, sexta-feira o evento tem início às 20h e no dia 20, sábado, os shows iniciam às 16h, mas desde às 15h, acontecem atividades que devem envolver os frequentadores do local. O acesso é gratuito.

O Até o Tucupi 2014 é uma realização do Coletivo Difusão e Casa Fora do Eixo Amazônia com patrocínio da Jacc Produções Artísticas, Cafofo Comunicação Integrada, Arawak Jungle Hostel, apoio da Fundação Nacional das Artes – FUNARTE, através do Edital Funarte para Encontros, Seminários, Mostras, Feras e Festivais 2014; Prefeitura de Manaus, através da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer – SEMJEL e Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos – Manaus Cult; site Toque no Brasil – TNB. O Até o Tucupi ainda integra A Rede Brasil de Festivais Independentes, o Circuito Amazônico de Festivais Independentes, a Universidade das Culturas e a Cultura de Rede.

BONDE DO NORTE INVADE O ATÉ O TUCUPI!

A Mostra de Música 2014 está marcada para ocorrer nos dias 19 e 20 de setembro na Praia da Ponta Negra, ao lado da pista de skate. De caráter não competitivo, a mostra objetiva promover a interação entre os diversos segmentos da arte e tem como foco valorizar as produções artísticas realizadas no Amazonas, propondo intercâmbio entre os agentes culturais de outras regiões do país, através de ações de qualificação, produção, circulação e troca de tecnologias sociais referentes a cadeia produtiva da música/cultura independente.

Pensando em conexão com o cenário musical do resto do país, a Mostra de Música ainda conta com shows de artistas do norte: Mc Bruno B. O (PA), Molho Negro (PA) e a Jamrock (RR).

O Mc Bruno B. O. apresenta o repertório do seu último trabalho, "Floresta de concreto".

Mc Bruno BO

O compositor e MC Bruno B.O. é nascido em Belém-PA, e um dos pioneiros do Rap e do Ragga no Pará, iniciou a carreira musical na banda de Hard Core/Rap Carmina Burana (1994-2000), onde passou a experimentar a fusão rock, rap e ragga . A partir de 2002, se lançou em carreira solo onde já trabalhou com as bandas Alma Livre Sound System (ragga/rap), Luz de Ras (reggae) e Clã Real (rap/reggaeton). Em 2010 foi 1ª Lugar nas Seletivas do “V Se Rasgum” (maior festival independente do norte do Brasil), onde foi destaque por representar a diversidade do mesmo, além de fazer uma apresentação com destaque para a fusão de estilos (rock/rap/ragga) . Em 2010 recebeu do Ministério da Cultura o Prêmio Cultura Hip Hop_Edição Preto Ghoez, na categoria “Conexões-Região Norte”, por sua fusão de rap, rock, ragga e espiritualismo, influenciada pela musica urbana paraense. Este prêmio contemplou as ações artísticas de 16 anos de carreira do Mc, com composições, ações e intervenções em prol do diálogo e da integração das linguagens urbanas da música contemporânea, com mensagens positivas em prol da união e da compreensão. Assim Bruno B.O, em sua última produção, o EP “Floresta de Concreto”, buscou, por meio da música, refletir a visão de um cara que cresceu nas ruas, na periferia, e que aos poucos tentou encontrar um caminho de auto equilíbrio e positividade pra repassar mensagens de auto conhecimento e fortalecimento interno, tendo a Amazônia e suas sonoridades como inspiração.

Saiba mais sobre eles aqui: http://mcbrunobo.tnb.art.br/

 

Também do Pará o Molho Negro se apresenta pelo segunda vez no estado e é uma das grandes expectativas do público.
Também do Pará o Molho Negro se apresenta pelo segunda vez no estado e é uma das grandes expectativas do público.

 

Molho Negro

O Molho Negro é um tempero pulsante e rasgante para o rock garage de João Lemos (voz e guitarra), Raony Pinheiro (baixo) e Augusto Oliveira (bateria).

Influenciados por Danko Jones, Black Rebel Motorcycle Club, Black Keys e The Vines, o grupo de Belém, metrópole incrustada na região amazônica, traz batidas dançantes e marcantes, letras que traduzem o espirito e sentimento de qualquer individuo, e trazem uma identificação sem muita complicação. Nada de rock cabeça. O negócio aqui é o melhor do estilo, na linha dos pioneiros como Chuck Berry e Little Richards, o objetivo é ser sedutor para os quadris e fazerem todos sacudirem com o som poderoso deste power trio.

Ouça aqui: https://soundcloud.com/molhonegro

 

Jamrock

A banda Jamrock, formada por Ana Gabriela, Hugo Pereira, Hyago Moura, Roberto Vizotto e Bebeco Pujucan surgiu em janeiro de 2010. Em suas composições, há a relação do homem com a natureza, a perspectiva pessoal do que os cerca e seus pensamentos são a temática principal. Não há limitações.

A Jamrock tem inúmeras participações em festivais por todos os municípios do estado de Roraima e apresentações semanais na capital roraimense, além de eventos da Prefeitura Municipal de Boa Vista e do Governo do Estado de Roraima.

Além, possuem dois projetos gravados: o EP intitulado “A Primeira Viagem”, primeiro trabalho da banda lançado em junho de 2012, e o CD “Jamrock Ao Vivo na Casa do Neuber”, lançado em março de 2013. Atualmente estão trabalhando na pré-produção de seu próximo CD, a ser lançado em 2014.

Fora do seu estado, a banda tem várias passagens por shows em Manaus e em 2013 foram prestigiados pelo projeto SESC Amazônia das Artes, tendo a oportunidade de representar a música de Roraima pelos estados da Amazônia Legal e convidados (Rondônia, Acre, Amazonas, Tocantins, Mato Grosso, Pará, Maranhão, Piauí e Amapa).

Já conhecida do público manauara, a roraimense Jamrock se apresenta no sábado e promete agradar público novo.
Já conhecida do público manauara, a roraimense Jamrock se apresenta no sábado e promete agradar público novo.